Ana Paula Almeida

Jornalista

Chávena de Cristal Um acordo entre um riso e um adeus, uma música trincada entre duas bolachas a custo engolidas. Uma lágrima no pires de um café salgado. Finge-se, faz-se de conta que há tempo, muito tempo até que a chávena arrefeça. Desfaz-se o nó na garganta, Compõe-se o nó da gravata, afinal foi tudo fácil! Entre memórias Entre um café e um sorriso partiu-se um segredo, diluiu-se uma história só nossa Numa chávena de cristal!...