Ana Cristina Sanches e Andreia Cardoso

Alunas do Mestrado em Psicologia Social da do ISCTE

"Assim, que chegámos ao local estava ainda o Centro Comercial em silêncio, as lojas ainda fechadas, as luzes a meio brilho mas ao longe já se escutavam vozes e gargalhadas. Eram nove da manhã de sábado, véspera da celebração pascal, um dia de chuva e cinzento mas, naquele momento, o olhar daquelas pessoas bem vestidas, os seus sorrisos e abraços numa celebração de reencontro, como que de amigos que há muito não se veem, marcaram a sua primeira impressão em nós.


A sensação com que se fica é que tudo está planeado e todos sabem qual é o seu papel. Há um trabalho de equipa ao nível das técnicas e dos voluntários, e os participantes estão incluídos desde o primeiro momento. Sente-se a perspetiva humanista neste grupo de suporte, porque as atividades são feitas para e com os participantes e há partilha de informação, criando um sentido de pertença.


O tempo fugiu, passaram-se duas horas num ápice e, de repente, recolhiam-se abraços, distribuíam-se flores e sorrisos e o espaço esvaziou-se lentamente para dar lugar ao momento em que se começou a desmontar o palco da memória.


Mas aquelas duas horas naquele lugar criado com carinho e dedicação, serão transportadas por todos e materializar-se-ão sempre que nos lembrarmos delas."