Café Memória fica em casa

Face à atual pandemia e num esforço de adaptação às novas circunstâncias, o Café Memória realizou em abril o seu primeiro encontro virtual.

“A primeira sessão do Café Memória fica em casa foi um verdadeiro sucesso”. Quem o afirma é Catarina Alvarez, responsável por este projeto singular que promove encontros informais entre cuidadores e pessoas com problemas de memória e demência, com o apoio de técnicos de saúde, técnicos de serviço social e de voluntários.

Num país onde se estima existirem cerca de 200.000 pessoas com demência que necessitam de cuidados a tempo inteiro, estes encontros constituem um espaço importante de apoio e partilha de experiências dos vários agentes envolvidos nesta realidade, muitas vezes invisível, mas com enorme impacto na sociedade. Em 2018 e 2019, este projeto tinha já assumido uma outra variante, sob a forma de uma itinerância que levou estes encontros a meia centena de localidades isoladas do país: o Café Memória faz-se à estrada. Agora, na impossibilidade de encontros presenciais, o projeto adaptou-se a um novo formato: o Café Memória fica em casa.